Software livre: Um catalisador de informação

 

A Feira do Conhecimento, Cultura e Educação (FACE 2013) estimula jovens, estudantes e acadêmicos a criar e desenvolver projetos, a pensar e a decidir sua carreira, encaminha-os ao mercado de trabalho, permitindo o acesso a oportunidades e inclusão social. Nesta perspectiva, o Grupo de Usuários de Software Livre do Oeste de Santa Catarina (OeSC Livre) está presente na feira para estimular os visitantes a conhecerem o que é o software livre.

O software livre é desenvolvido e compartilhado mundialmente. Ele permite que um software possa ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem restrição, inclusive com a disponibilização de seu código-fonte. Um dos organizadores do OeSC Livre, Fabio Olive Leite, explica que o compartilhamento livre permite a inovação com grande rapidez e de forma segura, pois quando há um erro é possível corrigi-lo rapidamente. “Outro benefício é a inexistência de pirataria, já que todos os softwares são livremente compartilhados, como é o exemplo do Google, Dreamworks, Disney, Facebook, e todos os bancos e bolsas de valores do mundo que utilizam o software livre”.

Leite também atua como gerente de engenharia de suporte para a América Latina da empresa norte-americana Red Hat, que disponibiliza soluções baseadas no sistema operativo ou sistema operacional GNU/Linux, incluindo várias distribuições e projetos com software livre.

O OeSC Livre existe há 3 anos e, em Chapecó e região, possui aproximadamente 300 envolvidos. O integrante do Grupo e coordenador de Tecnologia de Informação do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Vale do Uruguai (Simovale), Fábio Beckert, conta que para participar é necessário apenas manifestar o interesse. “O nosso objetivo é disseminar o conhecimento de forma voluntária. Nosso lucro é o próprio conhecimento”, ressalta.

O integrante do OeSC Livre Oruam Piazza aproveitou a Feira para desenvolver um projeto de termômetro com luzes especialmente para utilização em agroindústrias, que tem como meta acompanhar a temperatura por escalas de luz. “Pensando na usuabilidade, preço e viabilização comercial, utilizei o arduino em seu esqueleto, pelo fato de ser prático, barato e fácil de trabalhar”.

Hackerspace

Além de fomentar o desenvolvimento de softwares livre, o OeSC Livre também desenvolve o Projeto Hackerspace, que instiga os participantes a explorarem a tecnologia e aprender com ela. Diferente do termo cracker, utilizado para designar o indivíduo que atua de forma criminosa ou ilegal na rede, os hackers são pessoas curiosas e que buscam entender como as coisas funcionam a fim de utilizá-las de forma criativa e inovadora. “O mundo da tecnologia é especialmente divertido para os hackers, pois cria oportunidades quase infinitas para exercitar a criatividade e a curiosidade. O Hackerspace é um grupo de fuçadores com um local para se reunir, levar projetos, trocar ideias, aprender e ensinar”, observa Beckert.

OeSC Livre

O OeSC-Livre é o Grupo de Usuários de Software Livre do Oeste Catarinense, um grupo de voluntários que procura organizar e mobilizar todos os profissionais, estudantes e interessados em tecnologias livres na região Oeste de Santa Catarina, promovendo a troca de experiências e conhecimentos entre os seus membros através de emails e fórum online, de eventos presenciais nas cidades da região, e interação virtual no canal #OeSC-Livre da rede IRC.FreeNode.net. O grupo é inspirado no modelo de atuação do TcheLinux, grupo com o mesmo fim atuando no Estado do Rio Grande do Sul, e foi fundado por participantes do TcheLinux, residentes em Chapecó e Concórdia.

O Grupo também desenvolve palestras e eventos gratuitos para estudantes, profissionais e demais interessados. Para participar ou conhecer mais sobre o OeSC Livre, acesse o fórum oesc-livre.org/grupo ou ainda o site http://oesc-livre.org/doku.php.

 

 

 

Galeria de fotos